Notícias

Entrevista Revista ASDAP, O que esperar de 2017?

Entrevista Revista ASDAP, O que esperar de 2017?

22/12/2016

O CEO da Gauss Claudio Doerzbacher Jr. concede entrevista para a edição de novembro/dezembro -2016.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil encolheu 0,6% no segundo trimestre deste ano, em sexta queda consecutiva. O desemprego chegou a 11,6% em julho e atingiu praticamente todos os setores da economia.
Segundo informações do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) e da Associação Brasileira da Indústria de Autopeças (Abipeças), entre janeiro e agosto de 2016, a produção industrial de veículos caiu 18,79%, o número de empregos no setor diminuiu 15,15%, a capacidade ociosa das indústrias avançou 13,7% e as exportações em reais recuaram 2,19%.
As vendas para o mercado de reposição, porém, tiveram alta de 3,64% no acumulado de janeiro a agosto de 2016 em comparação ao mesmo período de 2015.
Nesse cenário quais são as perspectivas para 2017?

ASDDAP: Como você avalia o desempenho da empresa e do setor em 2016?
CLAUDIO: A Gauss passa por um momento muito bom, com crescimento de mais de 30% no ano de 2016. É um desempenho muito acima da média do mercado, mesmo a reposição tendo sofrido menos que o resto do mercado.

ASDAP: Quais foram os principais desafios enfrentados e como foram superados?
CLAUDIO: A retração econômica tem efeitos óbvios de baixa na demanda e repressão aos preços. Em um primeiro momento, nosso desafio foi tentar manter volume sem perder margem. Além disso, a instabilidade do ambiente, principalmente o cambial, gerou um cenário de incertezas para todas as empresa. A solução foi termos um bom preparo financeiro para não entrar em “guerra” e manter um planejamento de estoque adequado.

ASDAP: O que podemos esperar de 2017?
CLAUDIO: Compramos uma fábrica de bobinas de ignição na China e adicionamos essa produção à planta que já temos naquele país. Queremos fortalecer nossa atuação nesse segmento. Na linha de reguladores, estamos lançando uma linha completa de itens baseados nas tecnologias RVC e LIN, que são uma revolução em termos de comunicação com a central do veículo.

ASDAP: Como o cenário de negócios se desenhará no próximo ano? Quais são as áreas e mercados com maior potencial?
CLAUDIO: A Gauss tem uma história muito forte no segmento elétrico e agora tem crescido no que chamamos de “injeção eletrônica” e engloba também a área de ignição. Esses dois segmentos são grandes direcionadores de nosso crescimento. Em reguladores, o potencial está na linha mais moderna desse produto, e, em bobinas de ignição, nossa atuação vai ser muito forte com essa nova fábrica.

ASDAP: O crescimento do PIB previsto para 2017 deverá influenciar os resultados do setor?
CLAUDIO: Com a economia crescendo, é natural o aquecimento de todos os setores, inclusive o de autopeças. Mas no caso do segmento de reposição, temos um comportamento mais constante, isto é, não cai na crise, nem sobe muito na bonança. A rigor, ele depende das vendas de veículos em períodos anteriores, e não da “crise no momento”.

ASDAP: O que a empresa está preparando para se destacar dentro desse cenário?
CLAUDIO: Manter o foco na inovação e aumentar nossa linha de produtos, ofertando maior qualidade em relação ao que existe no mercado. Estamos otimistas em encontrar alternativas para crescer ainda mais por meio da criatividade e inovação, ofertando produtos e serviços diferenciados em termos de tecnologia e qualidade.

Leia a entrevista completa na revista ASDAP edição novembro/dezembro 2016.